Sem categoria

 

Construção Civil em Boas Mãos

Presidente do Conselho de Administração da MRV Engenharia é reconhecido como empreendedor do ano e destaca projetos da empresa

O pioneirismo e a dedicação da equipe de mais de 20 mil funcionários são alguns dos principais motivos do sucesso da MRV no mercado de construção civil. A afirmação é de Rubens Menin, presidente do Conselho de Administração da MRV Engenharia, que, recentemente, foi reconhecido como o “World Entrepreneur of the Year” (Empreendedor Mundial do Ano), entre gestores de 46 países, durante premiação concedida pela Ernest&Young, em Mônaco. Ele é o primeiro empreendedor da América do Sul a receber esta honraria.

Menin acumula uma história de conquistas que se iniciou, em 1979, quando construiu uma casa popular, com a ajuda de familiares. No mesmo ano, fundou a MRV, empresa que presidiu por 35 anos. Em 2014, assumiu a presidência do Conselho de Administração da empresa, onde passou a supervisionar as atividades desenvolvidas nos 22 estados brasileiros, além do Distrito Federal, onde a construtora está presente.

A MRV Engenharia é uma das empresas contribuintes do Seconci-Rio e é preciso abrir um parêntese para confirmar o pioneirismo da empresa, não só nas estratégias adotadas em suas obras, mas também por ter abraçado o Programa de Relacionamento Comunitário desenvolvido pelo Seconci. Criado para promoção de comunidades sustentáveis, o Programa acontece por meio de ações que envolvem e fortalecem lideranças e moradores das localidades onde estão sendo construídos empreendimentos populares, no Estado do Rio. A MRV foi a primeira construtora a acreditar e desenvolver essas ações.

Parabenizando o gestor, Jackson da Costa Pereira, presidente do Seconci-Rio, destaca a importância do envolvimento da MRV no Programa. “Esta é uma forma de atender aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e de fortalecer o compromisso com ações de responsabilidade social, o que sempre foi foco da equipe do Rubens”, afirma ele.

Rubens Menin concedeu uma entrevista à equipe de comunicação do Seconci-Rio e falou sobre a premiação e sobre as atividades da MRV, ao longo dos anos, destacando o desempenho da empresa, em seus quase 40 anos de fundação. Confira!

 

:: O senhor foi o escolhido entre empreendedores de 46 países, trazendo esse prêmio, pela primeira vez, para o Brasil. O que representa essa premiação para o setor de construção civil brasileiro?

Receber esse prêmio de empreendedor mundial do ano é uma honra muito grande, para mim e para a MRV e também para o setor de construção civil brasileiro. O prêmio destaca o trabalho da equipe da companhia. Acredito que uma grande empresa só se faz com gente e o sucesso da MRV se deve ao time diferenciado de mais de 24 mil colaboradores envolvidos com o nosso projeto. Uma equipe dedicada, ética e apaixonada pelo que faz. Verdadeiros realizadores de sonhos. Mostra ao mundo que o setor de construção brasileiro é forte e tem um modelo vencedor.

 

:: Mesmo em meio à crise que atinge o setor da construção civil, a MRV mantém as atividades e a lucratividade. A que fatores o senhor atribui este desempenho?

Ao pioneirismo. No segmento em que a MRV atua, de moradias populares, o fator custo é fundamental para que o apartamento caiba no bolso do comprador de baixa renda. É impossível fazer moradias decentes se não formos eficientes, em termos de duração da obra, de durabilidade e de custos. Além de manter os custos sob controle, para garantir escala a MRV apostou em grandes obras e na construção de prédios padronizados, com os mesmos materiais e acabamentos nas diferentes unidades. Dessa forma, conseguiu desenvolver uma cadeia estruturada de fornecedores de aço, tinta, tubos, metais e outros materiais, oferecendo um produto de baixo custo e alta qualidade para o cliente. Com escala, a empresa ganhou maior poder de barganha com os fornecedores. Houve outras melhorias. Em 2006, eram necessários 12 trabalhadores para a MRV construir um apartamento por mês. O número caiu para uma média de 7,3, em 2011 e, atualmente, a média não supera 3,5 funcionários.O mercado usa mais do que o dobro. O modelo de construção popular que existe hoje no Brasil foi criado pela MRV. Somos pioneiros.

 

:: O cenário de muitos setores produtivos tem sido de colaboração em detrimento à competição, diante das convergências que afetam o setor. Neste sentido, de que forma MRV tem se posicionado frente às demais construtoras?

Sempre acreditamos na colaboração, tanto que nos unimos, em 2013, às maiores incorporadoras do país para criar a Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), uma entidade para representar as empresas de incorporação imobiliária, em âmbito nacional, fortalecendo o setor e contribuindo para o desenvolvimento sustentável do País e de suas cidades.

 

:: O Prêmio da Ernest&Young leva em consideração, além dos resultados financeiros da empresa, o impacto global, a capacidade de criação de valor, a inovação, o pioneirismo e o retorno para a sociedade. Dentro desses parâmetros, como o senhor avalia a atuação da MRV e o que destaca como missão maior da empresa?

Acredito que essa honraria deve ser atribuída a dois fatores: ao time diferenciado que construiu a MRV com muita dedicação e comprometimento; e ao propósito da empresa, de transformar o mundo e a vida das pessoas. O que a move a MRV é o seu propósito, o seu modo único e autêntico de atuação, por meio do qual ela quer fazer a diferença no mundo, para melhor. Ou seja, além de atender aos interesses de todos os seus “stakeholders”, a companhia quer, acima de tudo, ser um instrumento de transformação e participar, sustentavelmente, do progresso da humanidade, nas suas respectivas áreas de atuação ou de influência.

 

:: Qual a sua expectativa em relação ao futuro da construção civil, em especial no Estado do Rio de Janeiro?

Sou um otimista nato e enxerguei a oportunidade de fazer a diferença, realizando o sonho de tornar o mercado imobiliário mais acessível às massas, de tirar a construção civil de um patamar quase artesanal e transformá-la em uma indústria. Neste momento, a inovação deve ser uma constante para que possamos superar as expectativas do cliente. O Rio de Janeiro é um dos principais mercados da MRV e vamos continuar investindo fortemente no estado.