Comunicação

Câncer Relacionado ao Trabalho

O câncer relacionado ao trabalho é definido como decorrente da exposição a agentes carcinogênicos presentes no ambiente de trabalho, mesmo após a cessação da exposição. Em geral, ocorre um longo período de exposição a fatores ou condições de risco do ambiente de trabalho, o que dificulta o diagnóstico em alguns tipos de câncer.

Nos ambientes de trabalho podem ser encontrados cancerígenos como o amianto, a sílica, benzeno, níquel, cromo, radiação ionizante e alguns agrotóxicos, cujo efeito pode ser potencializado na exposição concorrente a fatores como a poluição ambiental, dieta rica em gorduras trans, álcool, tabagismo e agentes biológicos.

O câncer por exposições ocupacionais, geralmente, atinge regiões do corpo que estão em contato direto com as substâncias cancerígenas, seja durante a fase de absorção (pele e aparelho respiratório) ou de excreção (aparelho urinário), o que explica a maior frequência de câncer de pulmão, pele e de bexiga, nesse tipo de exposição.

Na possibilidade de ocorrência de um efeito tóxico grave e irreversível é preciso que sejam adotadas medidas eficazes de prevenção. Confira as etapas para a elaboração de uma proposta de vigilância em saúde de trabalhadores expostos a substâncias com potencial carcinogênico:

  1. Identificar todos as substâncias com potencial carcinogênico a que os trabalhadores estão expostos e as vias de exposição;
  1. Analisar o perfil toxicológico destas substâncias, com atenção às características que determinam maior risco à saúde humana, quais sejam:
  • Exposição a múltiplas substâncias;
  • Possibilidade de exposição através de várias vias (inalação, oral e dérmica);
  • Existência de substâncias químicas que atravessam as barreiras placentária e hematoencefálica;
  • Existência de substâncias químicas que são eliminadas pelo leite materno;
  • Existência de substâncias químicas com ação genotóxica, mutagênica, teratogênica e carcinogênica;
  1. Descrever o potencial cancerígeno destas substâncias nas situações de exposição identificadas naquela população;
  1. Elaborar um protocolo de monitoramento clínico e avaliação laboratorial

O desenvolvimento de estudos epidemiológicos e de uma proposta de vigilância em saúde efetiva podem contribuir para o planejamento e execução de ações ou intervenções com o intuito de mitigar ou prevenir a ocorrência de efeitos adversos para a saúde das pessoas.

Fonte: Atlas do Câncer Relacionado ao Trabalho