Comunicação

Cuidar da Saúde Mental do trabalhador evita absenteísmo

Os transtornos mentais foram responsáveis por quase 65 mil afastamentos no trabalho, entre 2012 e 2017, de acordo com o Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho. A plataforma, organizada pelo Ministério do Trabalho e pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), reúne os números de benefícios de auxílio doença concedidos pelo INSS.

Segundo o doutor em saúde pública e diretor da Associação Nacional de Medicina do Trabalho (Anamt), João Silvestre, o aumento dos transtornos mentais podem ser explicados por vários motivos. “Por muitos anos os transtornos mentais eram vistos como frescura. Por outro lado, temos os agentes de risco, principalmente nas grandes cidades, que contribuem para um estresse maior por parte dos trabalhadores”, explica.

Para João Silvestre, as empresas devem identificar e prevenir os possíveis fatores de risco à saúde mental dos trabalhadores. “Toda empresa deve ter um Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO) que inclua a prevenção da saúde mental do trabalhador. Além disso, caso o profissional venha a adoecer, é preciso acompanha-lo até a recuperação”, afirma.

A promoção da saúde mental no local de trabalho é um diferencial para as empresas. Proporcionar um ambiente flexível, evitar horas extras e pressões desnecessárias, valorizar o trabalho de cada um e evitar comportamento de humilhação são atitudes que colaboram para a criação de um clima mais ameno no ambiente de trabalho. Empregadores que adotam iniciativas para promoção da saúde mental veem ganhos no bem-estar de seus funcionários e, consequentemente, na produtividade.

Fonte: Portal JC online, por Bruno Vinícius